fbpx

Como é a visão das Crianças com Síndrome de Down

Spread the love

No próximo dia 21 de março, comemoraremos o dia Internacional da Síndrome de Down.

Um dia para conscientizar a todos sobre a importância da luta pelos direitos, bem-estar e inclusão dos portadores de Down na sociedade.

A escolha da data não foi por acaso, visto que a Síndrome de Down é uma alteração genética no cromossomo “21″ (o menor cromossomo humano), que na maioria das pessoas aparece aos pares, e nos portadores da Síndrome são vistos em 3.  Daí o nome, trissomia 21.

Apesar de vários movimentos pela igualdade, ainda existe muito preconceito e o dia é justamente para nos lembrar que não se trata de uma doença, e os indivíduos devem levar uma vida normal.

Atualmente a lei permite que a criança com Down, seja matriculada em escola regular, favorecendo com isso o convívio com outras crianças.

Esta medida é extremamente saudável para todos, contribuindo inclusive para o desenvolvimento pedagógico.

E por falar em desenvolvimento, é importante que tanto os pais quanto terapeutas e professores estejam atentos às alterações oculares, que como em qualquer criança, podem atrapalhar o seu aprendizado.

E é para saber como é a visão das crianças com Síndrome de Down Lque fizemos este artigo. Leia abaixo e confira.

Como é a visão das Crianças com Síndrome de Down

100 em cada 100 crianças com Síndrome de Down, possuem problemas visuais! Isto ocorre porque, infelizmente elas têm 10 vezes mais chances de precisar usar óculos.

A boa notícia é que os problemas que as acometem são praticamente os mesmos de quaisquer outras crianças, só que com maior incidência.

Vamos ver quais são eles?

Problemas oculares em crianças com Síndrome de Down

Estrabismo

O estrabismo, que atinge 7 vezes mais vezes crianças com Down, ocorre quando os olhos apontam para direções diferentes.

O problema pode tanto surgir de vez em quando, especialmente no início da doença, ou se apresentar de forma constante.

Capacidade de acomodação ocular reduzida

76% das crianças com Down, têm capacidade de acomodação ocular reduzida, ou seja, têm dificuldades de ajustar o foco para ver de perto.

Nistagno

15% das crianças, têm nistagno. Um movimento involuntário, contínuo e irregular dos olhos.

O nistagmo pode surgir logo após o nascimento ou nos primeiros meses de vida.

Catarata

A catarata, que é uma opacidade do cristalino, surge nos portadores de Down bem mais cedo que nas pessoas sem a trissomia.

Ceratocone

Como qualquer outro adolescente, os que possuem Down também podem sofrer com o ceratocone, que é uma alteração na curvatura e espessura da córnea.

O problema, que pode surgir em até 15% dos jovens com a trissomia, se caracteriza pelos altos graus de astigmatismo e deixa a visão distorcida e irregular, provocando muita coceira nos olhos.

Percepção de contrastes reduzida

Praticamente todas as crianças com síndrome de Down não percebem detalhes com nitidez e têm percepção de contrastes reduzida.

Da mesma forma, têm mais dificuldades em perceber variações sutis de cor, mesmo com uso de óculos.

Outros

Fora estes problemas, desde o nascimento, as crianças com Down apresentam obstrução do canal lacrimal e infecções como conjuntivite e blefarite, obrigando-as a se consultarem de forma regular com um oftalmologista.

Como acompanhar os problemas oculares em crianças com

Síndrome de Down

 

A visão das crianças com síndrome de down

 

Deve ter percebido que os problemas, na sua maioria não são exclusivos às crianças com Down, mas vamos ver quais cuidados devemos ter para manter em dia a visão destes anjinhos:

  • Visite o Oftalmologista conforme a prescrição. O recomendado é um intervalo de 3 a 6 meses até o segundo ano de vida
  • Sempre que notar qualquer alteração ou dificuldade visual, antecipe o retorno.
  • Agende o primeiro exame até os 3 meses de idade e depois por volta do 6° mês.
  • Dê preferência a um oftalmopediatra, que é especializado no atendimento a crianças.
  • Invista em óculos com hastes flexíveis e bem ajustados.
  • Informe-se sobre a necessidade de  uso de lentes bifocais para crianças em idade escolar, já que seriam uma alternativa quando há o diagnósticos de miopia junto com a dificuldade de foco (acomodação) para perto.
  • Faça a estimulação visual precoce com objetos coloridos, contrastes, brilhos e luz.
  • E por ultimo, mas não menos importante: tenha paciência!

Não ver com nitidez ou não perceber as nuances de cor e contrastes, infelizmente é uma condição comum destas crianças, mesmo com a correção dos óculos.

Portanto, não espere que atividades escolares sejam fáceis. Mas saiba que com carinho e paciência, as crianças conseguem se desenvolver muito bem. Respeite o tempo de cada uma!

E você ficou com alguma dúvida? Quer saber mais sobre este ou outros assuntos oftalmológicos, clique aqui e fale com a gente.

Checkup dos Olhos clínica oftalmológica em São Paulo

 Checkup dos olhos sua clínica oftalmológica em São Paulo

× Como posso te ajudar?
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram